30 de dezembro de 2010

Desafio de blog eo fim de ano

Bem pessoal, com 2010 chegando ao fim eu não queria fazer aquele velho balanço do ano, por que como vocês poderam ver esse ano eu mau escrevi aqui por causa de uns probemas de saude. Então pra fechar 2010 vou fazer esse Desafio de blog que foi indicado pela a minha amiga blogueira Luciana Nogueira que foi quem me indicou ao desafio. Então vamos lá:





7 coisas para fazer antes de morrer:


  1. Visitar a Disney.
  2. Conhecer o Guilerme Briggs
  3. Morar no Japão
  4. Conhecer Paris
  5. Ver Kely novamente
  6. Ganhar um festival de Cinema
  7. Ter um pc bom
7 coisas que eu mais digo:

  1. É Floyd!!!!
  2. O Que?
  3. Biaaaaaaaaa!!!!!!
  4. Sugoi
  5. I'm Return já.
  6. Dude
  7. Não sei não.
7 defeitos meus:

  1. Preguiça
  2. Sonhar demais
  3. Bloqueio criativo quando estou estressado
  4. Perco a paciência bem fácil
  5. Acredito nas pessoas erradas
  6. As vezes não aceito perder
  7. Perco o amigo mas não perco a piada
7 coisas que eu faço bem:

  1. Comer
  2. Amigos
  3. Ler
  4. Escrever
  5. Ser amigo
  6. Amar
  7. Ser otimista
7 coisas que eu amo:

  1. Animes
  2. Livros
  3. Filmes
  4. Estar com os amigos
  5. Conversar
  6. Ver o por-do-sol
  7. Tirar fotos
7 qualidades minhas:

  1. Ser engraçado.
  2. Olhar sempre o lado positivo das coisas
  3. E dizer sem medo que sou fanático por Harry Potter, animes e filmes.
  4. Saber conversar com as pessoas
  5. Desenvolver teorias malucas para a série Fringe.
  6. Correr bem(de cachorros)
  7. E me conformar que moro na ilha de Lost
Blogs que indico:

Anjos Histéricos
cARa dE mAcACo
Cinema e Eu
Change the World: O Diário de um Voluntário
Crepusculinho
Frases de Filmes
Joly Rouge
Mulher de Fases
Teatro de Bonecos

E com isso desejo a todos vocês que por aqui passam um super 2011 e que os nossos sonhos se realizem no ano que está chegando.

21 de dezembro de 2010

Video Para os amigos.

Para todos os meus amigos, eu deixo essa mensagem de fim de ano.

video

2 de dezembro de 2010

Frase do Mês

"Crescer significa mudar e mudar envolve riscos, uma passagem do conhecido para o desconhecido."

Autor Desconhecido.

Harry Potter E as Relíquias da Morte Parte 1: Eu vi Parte 2 de 2

“A morte é apenas uma travessia do mundo, tal qual como os amigos que atravessam o mar e permanecem vivos uns nos outros. Porque sentem necessidade de estar presentes, para amar e viver o que é onipresente. Nesse espelho divinino vêem-se face a face; e sua conversa é livre e pura. Este é o consolo dos amigos e embora se diga que morrem, sua amizade e convívio estão, no melhor sentido, sempre presentes, porque são imortais.”

William Penn, More Fruits of Solitude.

Se tem uma coisa que o Harry sempre teve que enfrentar, essa coisa foi a morte, a mesma que levou a vida dos pais, a do seu padrinho e principalmente a do seu mentor e amigo Alvo Dumbledore. E digo que a morte foi algo bem explorado nesse filme, botando ela como um dilema para o personagem principal, no sentido de que Harry não quer os outros morram por ele.

Bem, no ultimo texto eu tinha parado bem na parte em que Lupin manda Harry fugir e com um pouco de relutância o mesmo pega e realiza a fuga com os amigos Rony e Hermione, então o trio se vê numa rua bem movimentada numa praça chamada Piccadilly Circus diferente do livro que foi na rua Tottenham Court, mas tirando essa pequena diferença nessa parte é explicada a função e tudo que a bolsinha da inteligente bruxa carrega. A cena do café, mesclada com a garçonete toda chata ouvindo música e pouco se importando com o pedido dos jovens está realmente ótima. Não foi mencionado o tabu no nome Voldemort, mas durante duas vezes no filme ele é claramente identificado como tabu. A primeira vez é nesta cena, pois logo após Hermione cogitar seu nome os Comensais da Morte chegam disfarçados.

Nos momentos seguintes no vemos numa batalha impecável. Muito realista. Sem grandes efeitos, mas apenas com os que a cena pedia que mostrassem a realidade do mundo bruxo. Rony mostra-se realista, quase vingativo, mas isso é parte da brilhante atuação que eu já falei, e foi muito que o Yates deu esse espaço para o trio atuar bem melhor.

Então somos levados ao Largo Grimmauld, onde o trio aparata na rua e não nos degraus da casa, como relatado no livro. Então quando eles entram e vemos o vulto feito de areia com a aparência de Dumbledore que eu achei bem legalzinho, depois vemos que Rony e Hermione realmente dormiram de mãos dadas e estão muito mais próximos nesse último filme, realmente demonstrando que gostam um do outro. Harry visita o quarto de Sirius e acha um livro de Batilda Bagshot, mas não encontra nada da carta de sua mãe. Rony é quem descobre que R.A.B. é Régulo Arturo Black, irmão de Sirius. Monstro conta apenas fragmentos da história de seu senhor, Régulo, e nada fala sobre ter ido resgatar o mesmo na caverna onde Dumbledore tomou a poção envenenada. Harry não dá o medalhão à Monstro, mas o mesmo vai em busca de Mundungo. Outra coisa que eu fiquei bem chateado foi que não teve a visita de Lupin no Largo Grimmauld, ou seja, Harry e Lupin não brigam e, ainda, não sabe que se tornará padrinho de Teddy.

Depois temos uma cena em que através de um pronunciamento o novo ministro da magia Pio Ticknesse é relatada a comissão sobre o registro dos nascidos trouxas e a procura insaciável de Harry por parte do Ministério da Magia, designando-o como o "Indesejável Nº 1". As ameaças se estendem a todo mundo bruxo e aos funcionários do Ministério da Magia.

Desde do livro 5 e até nos outros livros eu fiz um paralelo entre o nazismo e Voldemort e vejam a minha felicidade quando o Yates trabalhou brilhantemente jogando na atmosfera do filme uma alusão ao nazismo. Os caçadores de recompensas usam braçadeiras vermelhas, o oposto das braçadeiras azuis que os alemães obrigavam os judeus a usarem. Notem que eles andam em bando e sempre maltratando alguém que será preso e até morto injustamente, sem qualquer julgamento descente que sequer o mesmo possa se defender. Sem falar na quantidade de panfletos produzidos contra Harry e os contra os chamados "sangues puros", o mesmo ideal nazista de "apuração da raça". Lembro-me de uma frase relatada nos livros de que "não há um só bruxo que tenha o sangue completamente puro neste mundo", o que é a verdade. Esta metacrítica sobre o sistema nazista foi brilhantemente tratada por J.K. E agora adaptada e reproduzida no filme.

Bem deixando as minhas nerdices de lado voltemos ao filme. Na cena seguinte vemos Rony e Hermione tocando piano na Mansão herdada por Harry, algo novo, mas muito bem elaboradodo no contexto da história. Mundungo é capturado por Monstro e Dobby, que retorna à série incrivelmente carismático, cativante e engraçado. Contudo este capítulo está muito bem adaptado e produzido, gostei muito.

Não são mostrados os planos de ataque e penetração no Ministério da Magia. O desenvolvimento de Harry, Rony e Hermione se tornarem Alberto Rucorn, Reginaldo Cattermole e Mafalda Hopkirk é o mesmo do livro, com muita fidelidade. A forma de entrando pelo banheiro e o trio analisando a estátua de bruxos sobre trouxas segue também intocada. O Sr. Weasley não está nessa cena.

O trio de atores que fizeram Harry, Rony e Hermione estavam muito bons com trejeitos explanados no livro e reações próprias, sem falar nas vozes do personagem original que os mesmo ficaram! Umbridge segue a mesma chata e vaca de sempre, com suas roupinhas rosas e tudo mais. Harry, como Alberto Rucorn, não utiliza da capa da invisibilidade no Ministério da Magia, na verdade ele nem a usa neste filme. O olho de Alastor Olho-Tonto Moody encontrava-se na porta de Umbridge, onde Harry retirou-o, porém não aparece quando ele enterra-o. As fichas de registro dos membros da Ordem da Fênix e, principalmente, dos membros já mortos com o "X" vermelho sobre suas fotos foram realmente muito chocantes, inclusive quando o mesmo "X" encontra-se sobre a foto de Dumbledore, e outra tratando Hermione como extremamente perigosa.

Harry (Alberto) vai ao tribunal com Reginaldo Cattermole, que na verdade é Rony, onde o efeito da poção polissuco se desfaz e ele diz que Umbridge não deve contar mentiras. Uma cena incrível, pois Harry realmente está transtornado, depois de tudo o que viu contra ele e seus grandes amigos dentro do Ministério da Magia. As cenas a seguir mostram mais uma bela sequência de ação do longa: Dementadores correm atrás do trio e mais a Srª. Cattermole até o elevador, onde Harry conjuga um Patrono e afasta-os.


Depois de tudo Harry e Hermione já assumiram suas formas naturais vêem Rony ser beijado, em uma cena muito engraçada, com o verdadeiro marido chegando e presenciando aquela cena. Mesmo com todo o clima de pressão e perseguição o diretor, juntamente com J.K, que se tornou produtora nesses dois últimos filmes da série, fizeram um trabalho incrível.

Depois de toda a perseguição temos a cena de Rony estrunchado e Hermione chorando compulsivamente com todos atônitos vendo o amigo quase morto é muito chocante, ou pelo menos angustiante! Finalmente a jornada nas florestas e planícies britânicas começa. Ficou realmente ótima a cena de tentativas de destruir o medalhão por magia, muito bem bolada. Vemos toda a raiva que Harry já está do mesmo. Vemos Voldemort descobrindo quem roubou a Varinha das Varinhas de Gregorovitch e após matando-lo.

Se me lembro bem é nessa parte de viagem que Harry escuta no radio de Rony que Hogwarts estar sendo dirigida por Snape, ficou diferente do livro mas entrou no contexto do filme, então eu não vi problema nisso. Outra cena que eu achei ótima foi a da Hermione quase sendo encontrada pelos Caçadores de Recompensa, porém mostrando a eficácia dos feitiços de desilusão lançados em torno da barraca. Achei uma cena incrível, mesmo, pois encaixou-se e só teve a acrescentar no filme.

Depois disso temos começo do ciúme de Rony que é muito bem trabalhado por Rupert, pois ele realmente se transformou enquanto carregava o medalhão por tanto tempo. Sua maquiagem também ajudou bastante. Ficaram muito bem boladas as cenas de vários lugares de acampamentos, Comensais da Morte voando por aí em busca de Harry, e o tempo passando e cabelo e barba crescendo, algo realmente notável, com Hermione após cortando o cabelo de Harry.

Ai temos a tão esperada cena da briga entre Harry e Rony, e ai vai mais um ponto pro trio em termos de atuação, estavam todos ótimos em cena principalmente o Rupert que teve sua melhor atuação da série, pois realmente entrou exatamente, ou quem sabe até mais, do que o livro lhe oferecia. Hermione tem um choro sofrido, confuso, um choro de amor por perder o amado, um choro de não poder deixar quem pode salvar os dois mundo, um choro por não largar os ideais que jurou lutar. Harry ficou com um ar "superior", não podemos deixar de dar os parabéns também à Daniel. Se houve um cume de superioridade de atuação, esta é a cena! Hermione deixando uma pista para Rony são desses gestos simples que mostram o amor verdadeiro, sorte que Harry mostra-se incrivelmente seu melhor amigo ajudando-a.

Amizade, que palavra linda não acham? Mas é ela que nos de presente uma das cenas mais puras e lindas do filme: no rádio está tocando a música "O Children", do Nick Cave & The Bad Seeds, onde Harry traz uma Hermione afundada em depressão e choros para uma dança de libertação, de verdadeiro incentivo sem sequer ser dita uma palavra. É uma dança esquisita, como ingleses fariam, quase engraçada se não fosse seu propósito final, demonstrar o valor de uma verdadeira amizade.

“Abro no fecho” é isso que estava escrito no pomo quando Harry coloca ele perto da boca, e a cena seguinte serve de ponte para uma das minhas partes favoritas do filme e do livro também.

Esta cena começa brilhantemente iniciada com Harry justificando porque ele e Hermione não chegaram a Godric Hollow com a forma de outras pessoas. Não me lembro a frase exatamente, mas Harry disse que tinha de voltar no lugar onde seus pais morreram e sua vida mudou da mesma forma de que saiu. Obviamente este texto foi criado por J.K. Rowling, pois ele tem "a cara dela", combinando com a forma de criação textual da série.

A cena do cemitério decorre exatamente como no livro, com Hermione encontrando o túmulo de Ignoto Peverell e Harry o de seus pais. Nada é cogitado sobre a família de Dumbledore, pois a Tia Muriel já havia dito algo no casamento. Não vemos a estátua de Harry e seus pais.


Depois vemos a casa destruída de Harry segue no mesmo lugar, porém ela não estava oculta, não tinha nenhuma placa de incentivo, muito menos Harry tocou na cerca da casa. Tivemos rápidos relances de uma cena que pareceu ser quando Voldemort assassinou os pais de Harry, mas nada que desse para ser muito bem identificado.

O Ataque de Nagini a Harry é incrível, pois Batilda é realmente assustadora até para adultos.As moscas indicando o corpo apodrecido de Batilda foi algo bastante realista de se mostrar. Quem gostaria de tê-la como vizinha? Acredito que ninguém. Só não entendi quando Nagini ataca Harry e eles caem em um quarto infantil extremamente arrumado e novo. Seria aquele o quarto de Harry? A casa de Harry dividia a parede com a casa de Batilda? Batilda viu Lílian e Tiago Potter serem mortos? Lá vou eu com as minhas teorias malucas. (saudade de Lost eu acho.)

Então Harry e Hermione conseguem fugir da casa, depois vemos que Harry ficou desacordado por dias e Hermione quebrou sua varinha, conforme no livro, embora Daniel não tenha dado o drama necessário a perda de sua varinha. Harry realiza uma leitura do livro sobre Dumbledore, porém nada é relatado ao público. A Corça Prateada decorre-se da mesma forma, até o mergulho de Harry no lago congelado para pegar a espada, outra cena onde Daniel se saiu muito bem, pois a mesma foi realmente grava debaixo d'água! O lago ir se fechando e o mistério sobre quem era o salvador ou salvadora de Harry ficou muito bem feito também.

Então vemos que quem salvou Harry foi Rony, e ai chegamos a o ponto culminante do filme quando Rony com a espada tenta destruir o medalhão, quando ele se abre e vemos todas as visões, literalmente realizadas, inclusive o texto, então posso dizer mais nada além da perfeição atingida. O beijo que dura aproximadamente 20 segundos no cinema significa muito.

Quando Harry acorda Hermione e ela bate em Rony pela sua volta e ele explica, igualzinho ao livro do porque e como voltou é uma cena engraçada e bonita! "Harry Potter me entregue a minha varinha!" foi ótimo! "O pontinho de luz entrou aqui, bem aqui!", isso talvez seja pelas leituras do livro de "como encantar uma bruxa" que o Rony andava lendo, que não foi mencionado no filme.

Harry ganha de Rony uma varinha que faz estragos com um feitiço simples, o que tornou a cena engraçada, principalmente com a fúria de Hermione. Quando Hermione sugere a ida a casa dos Lovegood, Rupert se supera fazendo um humor muito bom na pele de Rony. A casa dos Lovegood é exatamente como descrita no livro, e o clima de humor levado a cena soa muito bem com os estranhos Lovegood. Nada é falado sobre a prensa d'O Pasquim. Nada é falado sobre o Chifre de Erumpente. Nada é falado sobre o busto de Rowena Ravenclaw. E também não temos o que na minha opinião é uma parte linda do livro, é quando Harry vê o desenho dele e seus amigos juntos com Luna no teto do quarto da mesma.

Logo em seguida temos a narração da lenda das Relíquias da Morte contada por Hermione e sendo mostrada por uma animação esplendorosa. Vemos também o significado do símbolo das relíquias e logo em seguida somos levados a uma cena onde Xenofílio mostra que o nome de Voldemort está azarado assim chamando os Comensais da Morte.

Quando Harry, Rony e Hermione fogem da casa destruída dos Lovegood, mais uma vez somos levados a uma incrível cena de perseguição, diferentemente do livro, eles tem para onde correr, e correm! Hermione mutila o rosto de Harry e ele tem a visão de Voldemort com Grindewald e ele diz que a Varinha das Varinhas está no túmulo de Dumbledore. Scabior descobre que a pessoa mutilada é Harry Potter e leva-o para a Mansão Malfoy, tal qual como no livro. Lobo Greyback quase não tem fala alguma no filme.

Estamos no clímax do filme, onde conhecemos a casa dos Malfoy onde temos a cena de tortura que Bellatriz faz em Hermione. Também ficou muito boa a cena do porão com Olivaras, Luna, Harry, Rony e o duende de Gringotes, Grampo, mesmo que ele mal tenha tido falas no filme. Bellatriz é realmente incrível! Helena faz um trabalho inexplicável com ela, mostra toda a excentricidade e trejeitos que só ela consegue dar vida através de Bellatriz. Hermione ganha uma tatuagem igual a de Harry, só que dessa vez escrito "Sangue Ruim". A morte de Rabicho não é tratada nesse momento, espero que seja explorada na parte 2. A batalha e toda a cena após o duelo na Mansão Malfoy é extremamente fiel ao livro. Dobby é brilhante ao dizer que não queria matar, apenas mutilar e causar ferimentos graves, ou seja, o Elfo mais querido e fofo do mundo.

"Dobby não tem mestres. Dobby é um Elfo livre. Dobby veio salvar Harry Potter e seus amigos."

Pronto pessoal juro que já estou acabando viu. Dobby aparata e leva todos os amigos de Harry a salvo para o Chalé das Conchas, conforme o livro nos mostra, porém ele tem uma morte muito dolorida ao público. Foi algo que mesmo o mais duro dos homens encheu os olhos d'água, se bem que no livro eu imaginei essa cena no inicio da noite, mas o drama fico igual a do livro. Dobby com certeza sempre foi um dos personagens mais queridos da série, principalmente após um filme onde o mesmo foi tão querido. Não fizeram a lápide do túmulo do Dobby, mas sua morte já foi muito bem tratada, principalmente com a sua frase final que é de botar pra chorar mesmo: "Que lugar bonito para estar com o amigos." E assim vemos ele morrer.

Depois do enterro somos levados para as terras de Hogwarts com um Voldemor extremamente agressivo, violando o túmulo de Dumbledore com todas as suas forças e destruindo-o. A trilha sonora teve seu momento mais incrível. Voldemort estava sublime, completo, satisfeito e vencedor. Assim termina a primeira parte de Relíquias da Morte que na minha opinião não foi um filme 100% fiel ao livro mas me arrisco dizer que foi 88% super fiel, sem contar que a trilha sonora estava magnífica e totalmente no clima do filme. Então que venha a parte 2 no ano vem.

1 de dezembro de 2010

Leslie Nielsen in memorian

Na década de 80 era praticamente não existir uma pessoa que não tenha se divertido com as peripécias desse senhor de cabelo branco que interpretava o melhor policial que poderia existir em um filme onde tudo era non sense. Leslie Nielsen era Frank Drebin na trilogia Corra que a Policia vem ai.

Depois vieram muitos outros filmes, alguns verdadeiras porcarias, outros divertidos, porém, ele era sinônimo de comédia. Por muitas vezes sendo confundido com Steve Martin nas conversas entre amigos.


E neste domingo dia 28 de novembro aos 84 anos, o ator não resistiu uma pneumonia severa. Ele estava internado em um hospital em Ft. Lauderdale, Florida, parao tratamento.

Sua carreira iniciou na década de 1950 e acreditem ele era ator de filmes sérios, um ator dramático. Esteve na primeira versão de O Destino de Poseidon também no filme O Planeta Proibido. Em 1980, aceitou participar do filme Apertem os Cintos o Piloto Sumiu! (Airplane!, 1980), e a partir dai estava iniciada a fase de sua carreira que o consagrou e o tornou uma figura super conhecida. Além de Corra Que a Polícia Vem Aí, participou de Todo Mundo em Pânico, Duro de espiar, Drácula - Morto Mais Feliz e A Repossuída. E mais alguns filmes não dignos de nota.

A questão aqui é que se vai um dos ídolas não só da minha, mas da infância de muitas pessoas, que tinha esse senhor de cabeça branca como um herói, que além de tudo dava ums pegas da mulher do Elvis Presley.

Manda abraço pro Heath Leadger

Vi no Blog CARA DE MACACO

25 de novembro de 2010

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1: Eu vi Parte 1 de 2

Depois de um tempo eu consegui juntar as ideas e processar tudo que vi na sessão de Pré-Estréia (Pre-estrea) de Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1, e não tenho duvida em dizer que até agora esse foi realmente o melhor filme de toda a série.

Antes de falar do filme, gostaria de comentar como foi a pré no Cinemark aqui em Natal. Bem, o Cinemark mais uma vez me mostrou o total descaso com os fãs, o que pra mim não é muita surpresa, pois eles fizeram o mesmo na pré do filme do Sherlok Holmes.

Mas, deixando isso de lado vamos falar do filme, bem, começamos com a Hermione segurando um jornal com a seguinte manchete: "Marca Negra espalha pânico" em sua casa no mundo trouxa, e dando adeus aos seus pais após limpar a memória deles de qualquer lembrança da única filha. Logo depois vemos Tio Válter e Duda enchendo o carro de pertences da família e indo embora. E por ultimo vemos Rony no lado de fora da toca. Não sei se vocês notaram, mas essa abertura mostra o sentimento dos personagens principais e que eles estão dando adeus as suas casas, como se o amanhã não fosse existir. Achei essa abertura bastante triste e tocante principalmente pra quem leu os livros. Enfim, após uma breve introdução de despedidas, finalmente o logo da série aparece dando inicio ao fim.

Esqueci de falar que as cenas foram mescladas com o Ministro Scringeour, concedendo uma entrevista no Ministério e relatando todos os perigos que ambos os mundos, trouxa e bruxo, estão enfrentando. Vocês se lembram que "Enigma do Príncipe" também teve uma abertura semelhante? Seria esta uma marca registrada do diretor David Yates? Bem, logo depois vemos o Snape aproximando-se da Mansão Malfoy. Notem que ele está sozinho, e não mais com Yaxley, como no livro. Embora ele tenha feito a saudação com a mão direita e não com a esquerda, o efeito especial do portão correspondeu mais ou menos ao que eu havia imaginado no livro. Snape também sentou a esquerda de Voldemort, e não a sua direita como é ilustrado no livro. Bem, o texto eu achei absolutamente fiel, e me deixou extremamente satisfeito, pois nos mostrou todo o ar sombrio que era necessário.

A aparição do Thicknesse na cena garanto que foi a maior surpresa, mas foi para ilustrar que ele já está sob a maldição Imperius. Voldemort estava extremamente sombrio nessa cena, o que me deixa bem satisfeito, pois mais uma vez me correspondeu ao imaginado no livro. Belatriz como sempre muito serviçal e apaixonada pelo seu mestre se oferece para realizar a tarefa de matar Potter, embora isso seja uma adaptação apenas do filme e também uma ilustração daquilo é subtendido no livro, pois sempre imaginei a Belatriz apaixonada pelo mestre. No decorrer da cena vemos que Voldemort pede a varinha de Lúcio e quebra-a, realmente humilhando o senhor Malfoy o que também me leva a outra coisa subtendida desde livro 6, de que os Malfoy estão com medo do Lord, e eu gostei muito quando isso foi bem aproveitado principalmente no filmes 6 e agora no atual. A morte de Caridade Burgage foi incrível, e extremamente a mais chocante de todos os filmes da série, cena que também mostra o drama de Snape, e tudo isso se completa na lágrima da Burgage que rola após sua morte. Realmente um trabalho incrível do Yates de realizar uma atmosfera tão sombria logo no começo do filme.

Depois vemos o que deve ser um flashback da morte Dumbledore e em seguida a cena corta para um Harry sem rumo e visivelmente perturbado, o que me leva a falar da única coisa que não gostei no filme, foi a aparição do espelho de Sirius que na trama entra sem explicação, mas deixando isso de lado vemos que Harry observa o que na imaginação dele deve ser o olho de Alvo no espelho, depois ele arruma sua mochila e vemos o bilhete de R.A.B. e o obituário de Dumbledore publicado por Elifas Doge no Profeta Diário.

Em seguida somos levados para uma Rua dos Alfeneiros totalmente vazia, e ai nos vemos em uma cena de nostalgia onde Harry abre seu antigo cantinho (Onde tudo começou), o armário sob a escada, onde ele encontra dois de seus antigos brinquedos, dois soldadinhos, onde um está caído, ilustrando o que pra mim foi uma alusão ao capítulo cinco do livro, "O Guerreiro Caído". Na cena que se segue, vemos uma fidelidade muito clara ao livro, desde textos até ações de cada personagem, e Olho-Tonto antes de morrer estava impecável, como sempre, com todo seu tom excêntrico e ao mesmo tempo extremamente protetor e realmente um ótimo e grande amigo.

Fred e Jorge são sempre muito singulares com as suas piadas. As risadas são inevitáveis nessa cena, desde a transformação até a finalização da transformação dos sete Potter’s. Edwiges é solta por Harry antes de sua partida. O que pra mim foi algo que ficou bem melhor que no livro onde a coruja é levada junto com Harry no sidecar. E pra mim, a morte da coruja foi muito mais heróica e importante pra trama, e aumentando ainda mais o drama do protagonista em ver essas mortes como responsabilidade sua.

A cena de ação dos Sete Potter’s para mim está impecável, desde quando eles levantam voo, e somos levados para uma batalha nas nuvens. Após a morte de Edwiges que no contexto do filme serviu para denunciar o verdadeiro Harry, e então vemos o recuo do Comensal da Morte, e em seguida vemos um Voldemort voa atrás de Harry freneticamente e com sede de sangue do "menino que sobreviveu". É incrível como filme pegou fielmente o fato de Voldemort poder voar sem o auxilio de nada e com a câmera seguindo-o ficou impressionante. Harry grita, sente que vai morrer ao lado de seu amigo Hagrid, e então vemos como a varinha de Harry destrói a varinha de Lúcio, que estava nas mãos de Voldemort e como Ralph Finnes interpreta-o fielmente ao livro. A adaptação final desta cena, com Voldemort destruindo a rede de energia elétrica ficou realmente incrível! E em seguida vemos Harry e Hagrid aterrissando n'A Toca, dentro da água que a rodeia após romper a barreira de feitiços.

Outra mudança do livro que eu gostei foi ter colocado o ponto de encontro do pessoal na Toca, pois pra mim ela representa um lugar de carinho e família. Nessa parte dos Sete Potter’s finalmente tivemos a participação de Gui Weasley que por sinal estava ótimo e mostrou que veio pra ficar, pois mesmo tendo sua primeira aparição na série, é ele que anuncia a morte de Olho-Tonto para seu pai e demais pessoas na sala d'A Toca. Não é Fleur que explica a morte de Alastor, e sim Gui, pois na verdade Fleur quase não possui texto algum no filme. E temos outra cena que ficou bem fiel ao livro, e essa foi protagonizada pelo Fred e o Jorge quando o Jorge (ou é o Fred?) perde a orelha e o mesmo fala que está mouco, fiquei contente pois foi do jeito que imaginei. E uma cena que foi cortada foi de todos bebendo pela morte de Olho-Tonto o que pra mim sinceramente não fez falta.

Esqueci de falar o quanto Lupin estava ótimo, interpretando fielmente o relato do livro, com todos os textos iguais. Quem imaginou ver um filme de 'Harry Potter' neste nível de fidelidade? Depois vamos para o que parece ser mais uma conexão entre as mentes de Harry e Voldemort, e mais uma vez vemos Harry em seu drama de culpa por assim dizer pelas mortes logo no inicio e então vemos o seu melhor amigo servindo de ancora e lembrando a Harry de que todos estão juntos nessa. Vale lembrar que o Rupert estava ótimo em cena o que vale para o Dan e a Emma também, pois nesse filme estão fantásticos.

Bem, na cena seguinte vemos os preparativos para o casamento é quando ficamos sabendo do livro escrito por Rita Skeeter momento este onde Harry é apresentado ao livro que está sendo escrito pela mesma. Então é mostrado o hobituário de Dumbledore novamente. Ele foi publicado em duas edições diferentes do Porfeta Diário? Ou seria o mesmo do inicio do Filme? Então a cena muda para uma Gina de costas para Harry praticamente semi-nua com o vestido aberto ao longo de suas costas inteiras, pedindo para o mesmo fechá-lo. Notem que o beijo entre os dois é de aniversário de Harry, que só será mencionado mais tarde, após o ataque do trio em um café londrino. Acho que isso foi adaptado humoristicamente para que um dos gêmeos Weasley, Jorge, e não Rony como é no livro, chegasse atrás dos dois com uma escova de dente dentro do buraco onde antes era sua orelha. Ficou realmente muito hilário, mesmo.

E então logo após todos montarem a barraca do casamento temos a visita do Ministro Scringeour que diferente do livro chega sem a companhia do Sr. Weasley e chega a ser mais gentil que no livro, e possui o olhar mais suave. Esta cena é muito mais visível, tanto através de expressões quanto de texto, mas para quem leu o livro eu pergunto, vocês acharam que essa cena é contra a versão do livro?

Então temos a primeira e única cena de casamento na série, onde Fleur e Gui Weasley unem-se em matrimônio. Vemos vários membros da Ordem da Fênix guardando a barraca do casamento e Harry sempre com o pomo de ouro em sua volta, coisa que eu não lembro no livro, mas gostei da Idea. O casamento evolui com uma música de estilo Celta eu acho, e então vemos Hagrid e Maxime flertarem, os convidados dançam, Luna e Xenofílio dançam de maneira maluca o que é de se esperar, Hermione e Rony olham-se apaixonados sem o Krum no pé de Mione.

Harry é ele mesmo e não toma a Poção Polissuco para se disfarçar de Barny, algo que eu gostei pois realmente não tem sentido Harry se disfarçar entre amigos, e sem contar que aumenta o toque de drama na história. Então temos finalmente a conversa de Harry com Elifas Doge com a intervenção do que deveria ser a Tia Muriel, a meu ver, ficou muito boa, embora corrida é claro. Só acho que poderia ter falado mais da vida de Dumbledore. Então temos a chegada do patrono de Kingsley, porém acho que poderia ser falado mais rapidamente, daria uma sensação de pânico maior, como algo realmente perigoso, mas fora isso foi valido, e mais uma nos vemos no drama de Harry me tentar ajudar, mas Lupin manda o mesmo fugir.

Então pessoal aqui eu termino a primeira parte, na próxima quinta eu dou o desfecho da minha opinião referente a Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1. Até lá.

10 de novembro de 2010

Entrevista do Mês: Silvio Navas

Olá pessoal, Depois de um longo inverno o bloco "Entrevista do Mês" está de volta no blog e dessa vez o nosso entrevistado é o Silvio Navas, um dos mais talentosos dubladores brasileiros, dono da voz de personagens famosos da televisão, como: Papai Smurf, o temido vilão do desenho dos Thundercats, Mumm-ra, Peter (Não o Peter da série Fringe, e sim o amigo do gênio Macgyver), Bud Spencer entre outros, atendeu ao nosso chamado e responde, com exclusividade, aqui no AluadoBlog.

Confira esta divertida entrevista:

Aluado - Silvio como a Dublagem entrou em sua vida?

Silvio - Fui levado à dublagem pelas mãos de meu "irmão", Older Cazarré, um grande comediante, ótimo diretor de dublagem, criador de vozes, que Deus já nos levou.

Aluado - Bem você dublou o vilão Mumm-Ra, Papai Smurf e claro o inesquecível Bud Spencer, mas certa vez eu reconheci sua voz num filme do Chaplin, se não me engano foi no filme “O Ditador”, então eu pergunto, você dublou um Chaplin? E se dublou, qual foi o sentimento de dar voz ao mestre do cinema?

Silvio - Foi um tezão ter dublado o Charlie Chaplin, nos 4 filmes falados que ele estrelou: "Um Rei em Nova York", Luzes da Ribalta", "Monsieur Verdeaux" e a extraordinária obra "O Grande Ditador". Sou “macaca de auditório” dele.

Aluado - O Mumm- Ra foi complicado de fazer a voz? E teve outro que você achou complicado de Dublar?

Silvio - Foi desgastante cada episódio da série. Mas não foi fácil dublar "O Prisioneiro de Zenda", onde Peter Sellers, fazia um papél duplo e onde um trocava o "r" pelo "l", como em - Boa noite, senhola, é um plazer encontla-la aqui.

Aluado - Nos Thundercats você dublou junto com o Newton da Matta (Lion), então eu pergunto como foi trabalhar com o Newton? E qual foi a importância do mesmo na dublagem Brasileira?

Silvio - Eu e Da Matta não tínhamos os mesmos prismas e predileções, por isso trilhávamos caminhos diferentes no mundo da dublagem, coisa políticas, mas nada sério. Seria muito fácil escrever duas páginas a respeito do profissional Newton Da Matta. Toda direção forte e de completo conhecimento da dublagem nos seus meandros, que são infindos, é sempre bem-vinda.

Aluado - Bem, recentemente foi divulgado que vai ter uma versão cinematográfica dos “Smurf’s”, então podemos esperar ouvir sua voz no querido Papai Smurf novamente?

Silvio - Acho meio difícil, eu estou em Santos – SP e Os Smurfs vai ser dublado no Rio, não acredito que me pagassem avião ida e volta, taxis, etc e tais. Mas estou sempre às ordens.

Aluado - Foi verdade que você fez a voz do Mumm-Ra em uma festa de criança? Conte essa História...

Silvio - É verdade. Somos convidados, até pra festinha de criança. O pai nos contrata e chegamos lá como um amigo do dono da casa, que já conhecemos previamente. Tomamos uns uisques, jogamos conversa fora, damos uns autógrafos e ficamos por alí à disposição do contratante. Numa dessas festinhas, o pai do aniversariante me chamou pruma sala de luz estroboscópica e disse - imita o Mumm-Ra aí no microfone. Eu disse - acho melhor não...mas ele insistiu e pediu pra meninada virar de costas pra nós e me anunciou. - Agora, com vcs uma pessoa, que eu tenho certeza que vcs conhecem dos desenhos animados...não se virem, apenas ouçam, e lá fui eu - Antigos espíritos do mal, patati patatá, e quando chegou no grito, WOOOOOOWWWWWWW, a voz estourou no recinto e foi criança chorando pra tudo que é lado. Coisas de Mumm-Ra...

Aluado - Saindo um pouco dos personagens, gostaria de saber como você define a dublagem atualmente no Brasil?

Silvio - Igual ao programa da Globo: ZORRA TOTAL!

Aluado - O que uma pessoa tem que fazer para entrar na dublagem? Se tem cursos e e.t.c...

Silvio - Bom, você tem que ser um ator, para poder dublar profissionalmente. mas para você se apresentar numa casa de dublagem, para dublar profissionalmente, é necessário que você tenha feito um curso de dublagem, onde você tenha aprendido tudo sobre dublagem, porque, desde o primeiro dia de dublagem você já vai fazer jus ao seu cachê/horário profissional. Ninguém vai querer lhe ensinar nada no dia, você tem que chegar pronto, sem atrasar o expediente. Meu conselho, então, fica assim: procure uma escola superior de arte dramática (aquela que fornece subsídios para o SATED lhe outorgar o famoso DRT, mas ao mesmo tempo, procure um Curso Livre de Dublagem, para que quando terminar o curso de arte dramática, você já tenha prática e conhecimento geral da profissão dublatícia. Se você mora em Sampa ou Rio, por certo vai encontrar bons cursos de dublagem, se mora em Santos, venha frequentar o meu. E se mora em qualquer cidade do Brasil, que não seja uma praça de dublagem (Rio e Sampa), me pergunte, pelo e-mail: silvio.navas@fuscosplay.com , à respeito de meu Curso Livre de Dublagem Itinerante.

Aluado - E por ultimo, Silvio eu gostaria agradecer por ter aceitado o convite em ser o entrevistado do Mês de Novembro aqui no Blog, e deixo esse espaço para você mandar uma mensagem aos leitores que aqui passam. Mais uma vez obrigado, e espero vê-lo sempre que puder comentando aqui nesse blog timidamente escondido na net.

Silvio - Bom, eu sempre peço a todos o seguinte: Não deixem que a dublagem passe em branco. Quando virem um filme ou desenho animado deixem os ouvidos bem aguçados. Quando terminar o divertimento dêem uma nota, pra vocês mesmos, na dublagem. Se perguntem, se entenderam todas as sentenças, se as boquinhas estavam condizentes com o texto, se a interpretação estava adequada àquele filme ou desenho animado. Se vocês se sentirem menosprezados pela atenção que lhes deram na dublagem, tentem encontrar um veículo pra contar isso, mas, ao mesmo tempo, se vocês acharem que foram contemplados com um ótimo trabalho de dublagem passem e-mails, para esses veículos, dizendo do contentamento que tiveram ao verem um trabalho tão bem feito. Aproveito e lembro aos amigos que estarei em Niteroi – RJ, em 28/11/2010, no evento da NITOKYO

6 de novembro de 2010

TChange the World: TELETON 2010 - Juntos fazemos a grande diferença.



Vamos todos juntar forças para ajudar a AACD!

Ligue 0500 12345 05 – para doar R$ 5,00
Ligue 0500 12345 10 – para doar R$ 10,00
Ligue 0500 12345 20 – para doar R$ 20,00
Ligue 0800 775 2010 – para doações de R$ 30,00 ou mais
www.teleton.org.br – doação de qualquer valor acima de R$ 5,00

E para conhecer mais sobre a AACD: www.aacd60anos.com.br

Eu fiz a minha parte e você?

2 de novembro de 2010

Frase do Mês

"Quando eu era criança meu sonho era ser gente grande e fazer o que quiser… Mal sabia que só se pode fazer o que quiser quando se é criança."

24 de outubro de 2010

Físico de Taiwan diz que o Tempo e Espaço não são entidades independentes.


A teoria do Big Bang, que diz que a massa do Universo inteira (totalmente condensada) começou a se expandir muito rapidamente, como uma explosão, têm sido aceita, mesmo por aqueles que não concordam 100% com ela desde que foi divulgada.

No entanto, um físico de Taiwan chamado Wun-Yi Shu refutou a teoria da “criação do Universo”, e conseguiu chegar num consenso com o Budismo e outras filosofias orientais: segundo ele, Tempo e Espaço não são entidades independentes, mas podem ser convertidas constantemente entra elas.

Na sua formulação da geometria do Tempo-Espaço, a velocidade da Luz é simplesmente o fator de conversão entre os dois. Similarmente, Massa e Distância são intercambiáveis numa relação em que o fator da conversão depende tanto da constante gravitacional G quando da velocidade da Luz, e nenhuma das duas precisa ser constante.

Enquanto o Universo expande, Massa e Tempo são convertidos para Distância e Espaço, e o contrário acontece quando ele começa a contrair. Em resumo, o Universo não está crescendo eternamente e nem teve um começo, mas sim executa um ciclo de expansão e contração.

Aparentemente, Shu, com tal teoria, conseguiu prever mudanças na observação de Supernovas Tipo-I e outros objetos brilhantes, o que poderia provar que o Universo está se contraindo e expandindo constantemente. Outros astrônomos, mesmo os incrédulos sobre tal visão, reconheceram que as previsões de Shu (pelo menos na observação dos astros) está correta.

Isso vai contra a idéia de que o Universo é composto de energia negra que o força a se expandir, numa velocidade cada vez maior. O problema é que dessa forma, a lei da conservação de energia não bate. Já com a idéia de Shu, a lei de Einstein encaixa perfeitamente.

Apesar de não ser perfeita, a teoria do “Universo Cíclico” que expande e contrai eternamente e continuamente, conservando energia, fecha totalmente com as teorias de Einstein, sem a necessidade de varrê-las para baixo do tapete. Algo que o Budismo, o Taoísmo e várious outros conhecimentos orientais ensinam há milênios acaba de ser notado por um físico.

Vi no site Jovem Nerd

21 de outubro de 2010

Humor




Coisas que aprendemos assistindo Sessão da Tarde

1. Não importa quais sejam os bandidos, um grupo de crianças poderá vence-los.

2. Já passou mais de 1.587.233.152INFINITO de vezes “Lagoa Azul”

3. Cachorros sabem falar.

4. Gatos sabem falar.

5. Nos EUA sempre tem valentão e ele sempre se dá mal no final.

6. Se eu tiver problemas com minha mãe ou meu pai basta dizer palávras mágicas que nós trocaremos de
corpos e daremos mais valor a cada um.

7. Se bandidos enfrentam crianças eles agem como retardados.

8. Papagaios sabem de tudo.

9. Um bando de fedelhos chorões podem vencer um time de valentões e trogloditas.

10. Se no meio do filme entrar a vinheta da Globo para um boletim urgente é porque alguém morreu.
11. Se um casal de crianças ficar perdido em uma ilha tudo neles cresce, menos os pelos pubianos, das axilas, bigodes barbas e unhas.

12. Um cachorro pode jogar basquete.

13. Um cachorro pode jogar basquete e baseball.

14. Um cachorro pode jogar basquete, baseball e futebol.

15. Cachorros e gatos nos chamam de “Meu humano” quando conversam entre si.

16. A babá sempre fica com o pai milionário e solteirão.

17. Sua babá pode ser seu pai.

18. Loiras são más.

19. Staypuft(homem marshmallow) pode ser mal.

20. Chimpanzés sabem andar de Skate.

21. Chimpanzés sabem jogar hockey.

22. O Tarzan no desenho não tem a Xita.

23. Se eu matar aula vou curtir a vida adoidado.

24. Príncipes africanos são humildes.

25. Chuck Norris é um espírito da floresta

26. Pilotos normais precisam de anos para pilotar um avião, pessoas comuns precisam apenas estar sob uma
situação de risco e ter alguém guiando pelo rádio.

27. Filmes de terror não são para os fracos que ficam a tarde em casa.

28. Quando existe um grupo de crianças elas tem as seguintes características: Um é gordinho ou negro, outro é o CDF que sempre usa óculos, o outro é negro e o principal é o que tem problemas com os pais em casa.

29. Americanos sabem jogar futebol.(o nosso futebol)

30. A menina anti-popular fica com o bonitão do colégio.

31. Os Trapalhões eram os caras!

32. Se a Xuxa trabalhar em uma lanchonete, ela vai limpar o suor da testa com o alface do sanduiche.

33. Nunca devo alimentar um Gremilim depois da meia noite, caso tenha um devo ficar de olho no horário de verão.

34. Mulheres peitudas podem mecher brincos em seus mamilos.

35. Lojas de brinquedo americanas tem um teclado gigante no chão.

36. A historia sem fim tem fim.

37. Um hospício e uma academia de polícia não são muito diferentes.

38. Um policial é um ótimo professor para crianças do jardim.

39. Se algum valentão um dia quizer me pegar no final da aula, eu vou sair beijando todas as gostosas do
colégio, e roubar o dinheiro do caixa.

40. O Vale a Pena Ver de Novo não se refere apenas as novelas, mas aos filme.

41. Existem filmes europeus que não chegam nem às locadoras.

Recebi Por e-mail

6 de outubro de 2010

J. K. Rowling provoca fãs com mais Harry Potter

Durante o programa de Oprah Winfrey desta última sexta-feira, a autora de incrível sucesso J. K. Rowling, que finalizou a franquia Harry Potter anos atrás, fez uma declaração que deixou os fãs do bruxo se coçando.

Segundo Rowling, ela já possui a idéia de mais 3 livros no universo de Harry Potter — todas as tramas estariam prontas –, mas que talvez não os escreva. Ou talvez escreva, daqui a dez anos. Ou talvez não.

Em resumo: a autora jogou um verde para ver a reação dos fãs sobre novos livros da saga. Agora, se isso significa que eles teriam os mesmos personagens ou se baseariam nas lendas contadas nos livros já escritos não se sabe. Resta esperar mais detalhes da escritora.


Vi no site Jovem Nerd

Em Zack Snyder eu confio.

Depois do incompreendido Superman Returns, de Bryan Singer, muita gente que olhava para a outra franquia de sucesso da Warner/DC nos cinemas — Batman — simplesmente parou de dar bola. Quer dizer, até recentemente, quando Christopher Nolan, responsável pelos últimos dois filmes do Batman (altamente ovacionados e elogiados), disse que estaria supervisionando a produção do reboot da franquia do Super-Homem, intitulado até agora como Superman: The Man of Steel.

E agora, pra arrebentar a boca do balão, entra um outro gigante da adaptação dos quadrinhos na direção: Zack Snyder. Ele, que já adaptou 300 e Watchmen para as telonas, terá em sua equipe o cineasta David S. Goyer cuidando do roteiro, ao lado dos irmãos Christopher Nolan e Jonathan Nolan.

De acordo com um rumor do site /Film, o vilão escolhido seria… Zod. É, o grande General retornaria para sua segunda aparição como o vilão principal de um filme do Azulão. O motivo de trazê-lo de volta (caso seja verdade) em vez de outros tantos como Brainiac, Apocalipse ou Darkseid, ninguém sabe.

O filme está previsto para 2012.

Vi no site Jovem Nerd

1 de outubro de 2010

Frase do Mês

''Há vários tipos de sentimentos mas é preciso transforma-los em palavras para que possamos entender''
Autor Desconhecido.

24 de setembro de 2010

Reminiscências de um Gago em seu Exílio 35: Vinte e poucos anos.

Em que época da vida se conhece as primeiras responsabilidades? Certo, podemos até não respeitá-las, mas nós tomamos consciência da existência delas quando adolescentes. Antes, na infância, o mundo cuida de nós. E nessa época, descobrimos que na verdade tudo o que fizeram para nós, na verdade, era uma preparação, para que um dia possamos fazer o mesmo pelos outros.

Quando somos jovens, temos que nos confrontar com algumas das maiores decisões de nossas vidas - decisões essas que, muitas vezes, são atrasadas - eu que o diga... Mas, pensando um pouco, vejo que tudo isso tem que fazer parte de nossas vidas, pois nos ajudam a evoluir como ser humano.

Em todo esse tempo em que estou de passagem nesse planeta chamado terra, fiz grandes amizades, conheci de forma bem dura a alegria de amar e a tristeza de abrir mão desse amor, fiz esse blog onde se transformou na minha nova casa e onde fiz novas amizade, onde posso destacar o “Francisco Mendes, Mônica e Claro Joanita (Joan)” E que agora são pessoas que fazem diferença em minha vida.

E por falar em vida, é tão estranho, quanto mais fico velho, mais aprendo coisas que não entendia quando era criança. "Naquela época deveria ter feito isso","Naquela época deveria ter dito isso."Tive que prender essas coisas. Não é um arrependimento, mas somente uma penitencia. Com arrependimento eu talvez estaria apenas tentando imaginar que não era tão ignorante no passado. Talvez seja por isso que dizem que adultos são tão egoístas. Mas eu sempre penso que vou guardar no meu coração todas as minhas lembranças até o fim... Mesmo que sejam lembranças tristes e que me machuquem muito. Mesmo que sejam tão tristes que eu queira esquecer sobre elas para sempre. Se eu puder suportar e não fugir delas... Então um dia... Um dia isso vai me fazer (e me fez) uma pessoa bem forte. Eu quero acreditar que nenhuma lembrança em nossa vida deve ser esquecida para sempre...

Quando eu era pequeno, um dia pensei... 'Até onde posso ir sem voltar?'
Gostaria de saber exatamente o que eu estava tentando fazer... E agora...
O que estou tentando fazer... O quê...? Eu finalmente entendi depois de gritar um pouco.
Sempre fui assustado. Eu estava assustado por não entender meu futuro.
Eu estava assustado por não saber o que fazer... E por não perceber isso.
Eu estava assustado com os dias que passam rapidamente sem qualquer piedade.
Mas... Mesmo assim... Se eu continuar andando dessa forma, serei capaz de entender?
Algum dia, talvez eu seja...

E então crescemos e percebemos o quanto nós erramos, o quanto temos que mudar. Chega à responsabilidade e a maioridade cobrando e confiscando todas as atitudes imaturas sem ao menos dar prazo. Aí se aprende de verdade o que é música, e se entende quem nem todo mundo tem a obrigação de entender de música ou outro gênero tão bem quanto você, aprende-se a respeitar a ignorância alheia, pois ignorante também se é em vários outros gêneros. Aprende-se que amor e paixão são coisas completamente diferentes. Vem a responsabilidade profissional, de pretender ser um bom profissional e fazer por onde ser, de ter disciplina e de começar a ter hábitos que antes não existiam. Vem o comportamento centrado e menos impulsivo ( logicamente em proporções condizentes à personalidade ), vem o sorriso com sentido de sorriso e o choro com sentido de choro, vem o mais forte resquício emocional e amoroso deixado e perpetuado pela adolescência.

Tudo completamente normal, tudo completamente visível dentro dos olhos do hoje. Então sobram apenas lembranças, meras lembranças que irão se reproduzir e se fantasiar pra sempre. Nos fazendo cada vez mais pisar em terra firme e fazer o nosso marco, a nossa história.

E hoje, caros amigos e leitores, eu tenho 25 anos e continuo o menino dentro de um projeto de homem, ainda fascinado por cultura Japonesa (Otaku), lendo Harry Potter, Percy Jackson, ouvindo música e jogando video-game. Ainda intransigente sem querer, ainda exagerado e engraçado pra não deixar que nada possa ser pior do que eu consiga imaginar, ainda chato e cético em excesso e sem motivo, ainda cometendo burradas que me fazem refletir. Aí a gente cresce e percebe o quanto somos crianças, o quanto ainda precisamos crescer.

"Obrigado a todos os meus amigos que lembraram da minha existência trancafiada nessa Ilha (Lost) confortável, e acima de tudo, obrigado a minha Mãe e minha Avó por me fazerem ser o que eu sou hoje, e o que serei amanhã e sempre."



Anderson Ricardo
24/09/2010

17 de setembro de 2010

Filme live action de Pokemon a caminho?! Nãoooooo por favorrrrr!!!!!



Para os fãs dos monstrinhos mais famosos do mundo do entretenimento, uma (talvez) boa notícia: o site Shogun Gamer disponibilizou um vídeo de 30 segundos, que mostra o que tem tudo para ser um trailer da versão cinematográfica live action das aventuras de Ash, Pikachu e seus amigos. É dito que o vídeo completo tem por volta de 3 minutos de duração.

Infelizmente a qualidade é péssima, por ter sido filmado de uma tela, cheia de timestamps, mas é possível ver vários dos personagens e dos monstros presentes na franquia..



Vi no Site Jovem Nerd

1 de setembro de 2010

Frase do Mês

"O único lado bom de morrer de amor é que você continua vivo."


(Frase do filme Apenas o fim)

26 de agosto de 2010

O Power Ranger Azul, assume ser homossexual.

O ator David Yost, que viveu o “Power Ranger Azul” nas telinhas, assumiu sua homossexualidade em uma entrevista no festival de animes de Orlando, que aconteceu neste mês de agosto.

Yost ainda afirmou que sofreu diversos tipos de repressão durante os quatro anos em que esteve na série e chegou a ter que participar de uma espécie de terapia para deixar de ser gay oferecida por uma igreja americana. "Eu saí porque fui chamado de bicha diversas vezes", disse o ex-ranger.

O ator deixou o programa em 1996 e já participou de campanhas para defender os direitos dos homossexuais, mas essa foi a primeira vez que falou abertamente sobre o assunto.

Li no Yahoo Noticias

Um dos grandes diretores de animes nos deixa.

Responsável por anímes sérios e adultos, mas mesmo assim altamente imaginativos, como Perfect Blue, Tokyo Godfathers e Paprika, o diretor Satoshi Kon morreu nesta última segunda-feira, dia 23 de agosto de 2010, aos 47 anos.

Aclamado como uma das grandes forças criativas dos ultimos anos, Kon dirigiu animes que alcançam muito mais do que as pessoas podem imaginar da arte. Um crítico chegou a dizer, sobre Paprika: “Os animadores americanos estão brincando no playground enquanto Satoshi Kon está voando em direção as estrelas”.

Seu ultimo filme, o já mencionado Paprika, tem uma trama semelhante ao ultimo filme de Christopher Nolan, Inception. Uma equipe de cientistas desenvolvem uma máquina que permite a psicólogos viajar dentro dos sonhos das pessoas, e esses cientistas precisam agir para impedir um terrorista que rouba uma das máquinas. Só que ao invés do jeito realista e comportado de Nolan, Paprika é uma loucura de imagens, cores e personagens, mas no bom sentido.

O Aint It Cool News e o Fórum Otakon noticiaram o fato, e até agora não se tem idéia de como Satoshi Kon morreu. Aparentemente foi algo extremamente súbito.

Que este grande artista descanse em paz.


Vi no Site Jovem Nerd

9 de agosto de 2010

De Volta Para O Futuro será relançado nos cinemas

A trilogia de De Volta Para O Futuro, dirigida por Robert Zemeckis e produzida por Steven Spielberg, é simplesmente uma das mais emblemáticas da cultura pop mundial. E agora, para comemorar o aniversário de 25 anos da franquia, o primeiro capitulo da série cinematográfica será relançada no dia 1º de outubro nos cinemas do Reino Unido, além de um lançamento cheio de extras para o Blu-ray.

O Blu-ray da trilogia será lançada na terra do Tio Sam em 26 de outubro e contará com duas horas de novos extras, sem falar num documentário, discussões do filme sobre física e sequencia alternativa do final do filme. Um prato cheio pra fã de Sessão da Tarde algum botar defeito!

Vi no site Jovem Nerd

2 de agosto de 2010

Frase do Mês

"As paixões são como as ventanias que incham as velas do navio. Algumas vezes o afundam, mas sem elas não se pode navegar." (Voltaire)

27 de julho de 2010

A Batalha do Apocalipse entre os 10 livros mais vendidos de ficção!

“Tudo começou com menos de 100 cópias, cedidas pela vitória de um concurso na Bienal do Livro. Desde então, o mega investimento no fantástico livro de Eduardo Spohr se mostra cada vez mais digno de nota. E acima de tudo, os nerds que leram, gostaram, e divulgaram A Batalha do Apocalipse são os responsáveis pelo lançamento nacional através da Editora Record.”

Em apenas três semanas de seu lançamento nas livrarias de todo o Brasil, ABdA já é o oitavo livro mais vendido de ficção, logo atrás de Dan Brown! A fonte é do caderno “Prosa e Verso” d’O Globo de sábado, dia 24/07/2010. Clique na imagem acima para ampliar.

O meu livro comprei semana passada junto com os outros livros de Percy Jackson, e quando eu terminar de ler prometo postar sobre o que achei do livro.


Via Jovem Nerd

23 de julho de 2010

O lado negro da Força usa semiautomática!

Darth Vader, um dos mais iconicos vilões do cinema, inspirou um assalto à agência de banco Chase, em Long Island nos Estados Unidos, às onze e meia da manhã de quinta passada.

O criminoso simplesmente entrou e foi direto ao caixa pegando todo o dinheiro que estava na gaveta. De acordo com o site My Fox New York, “no lugar de usar um sabre de luz, ‘Darth’ ameaçou o caixa com uma arma semiautomática”.

Trajado de capa e máscara, além de uma calça que o ajudava a se camuflar, o ladrão saiu do banco até o estacionamento e fugiu em uma bicicleta. Testemunhas disseram que a capa tremulava conforme ele fugia. Outra testemunha ocular disse que pensou se tratar de uma brincadeira de mau gosto, mas viu que realmente não era.

O Sargento Lamb disse: “Depois de 28 anos nada mais me surpreende, mas este [caso] foi único”.

Espero que não vire moda por aqui.

Vi no site Jovem Nerd

20 de julho de 2010

Nova imagem do filme de Thor.

As últimas imagens da adaptação da Marvel Studios de seu eterno personagem nórdico Thor decepcionaram bastante vários fãs. As armaduras “modernizadas” ficaram não só estranhas, mas não pareceram combinar com o visual de Loki e de Odin.

No entanto, a nova imagem liberada deixa as coisas mais tranquilas. A qualidade é ruim e a imagem não mostra muita coisa, mas é possível ver os dois corvos do Deus dos Deuses, Hugin e Munin, e o elmo mega característico do Deus das Enganações, com os grandes chifres dourados. Clique para ampliar.


Vamos torcer para que o filme continue a manter a qualidade dos outros filmes da Marvel Studios. Thor será lançado no dia 6 de maio de 2011, e tem Anthony Hopkins como Odin, Chris Hemsworth como Thor e Tom Hiddleston como Loki.

Vi no site Jovem Nerd

16 de julho de 2010

Eu Li: O Ladrão de Raios

Sabe aqueles dias em que você entra na livraria ou na biblioteca disposto a achar algo novo pra ler e sai em busca de um título novo, procura em cada prateleira seção por seção, algo que chame sua atenção e desperte seu interesse. Se você é um amante da leitura provavelmente já deve ter tido uma experiência destas, e por isso mesmo deverá saber o quanto é prazeroso descobrir que sua aposta fora certa. Foi essa exatamente a sensação que tive ao adquirir o primeiro livro da série Percy Jackson e os Olimpianos.

O ladrão de raios é surpreendentemente agradável, uma história envolvente e bem escrita, numa linguagem simples e nem por isso medíocre, trás uma nova roupagem aos contos mitológicos gregos. O ritmo contínuo e elétrico tira o fôlego, deixando o leitor na expectativa pela próxima ação das personagens ou pela próxima frase sarcástica do adolescente que protagoniza a aventura. E mais uma vez me vejo atraído por uma nova série de fantasia e aventura. Bem, Percy não é um Harry Potter, uma série que tem os seus méritos por ter despertado jovens e crianças para a leitura.

Em vez de ser usado um mundo de bruxos, o autor, Rick Riordan, aposta no óbvio e o faz com uma maestria o que não se via a muito tempo. Reconta os épicos gregos, atualizando o contexto – o ponto alto esta em Ares(Deus da Guerra) na sua Harley(Moto) - e fazendo uma forte crítica, no decorrer da narrativa, aos maus modos do ser humano moderno para com a natureza. Por fim a série Percy Jackson e os Olimpianos não deixa pra menos, as situações propostas na trama é de deixar você grudado na leitura do inicio ao fim, e está pessoa vos escreve espera ansiosamente pela próxima aventura do jovem Semi-Deus(Na qual acho que compro essa semana).

10 de julho de 2010

Toy Story 3 Eu vi: Todas as crianças crescem menos uma.

Pra começar esse texto vou usar um trecho do blog Cinema e Eu que diz o seguinte:

“Não importa o quanto cresçamos, vamos sempre nos lembrar dos velhos tempos. A vida é feita de fases. As fases passam. As lembranças, não.”

Toy Story fez parte da infância de muita gente, mas em mim foi mais do que isso a história desses brinquedos me tocou de uma maneira bem profunda. Wood, Buzz, Slink, Sr e Sra cabeça de Batata, Rex, Jessie eo Bala no alvo, poxa esse brinquedos tão queridos estão juntos em mais um filme, que pra mim fecha com chave ouro a história desses amigos de longa data.

Toy Story 3 começa em tom de nostalgia lembrando de forma sublime frases ditas no primeiro filme, e depois fecha com um clipe super lindo mostrando a infância do Andy ao som da musica hino e tema universal da série Toy Story “Amigo estou aqui”, e depois de tudo isso somos acordados pela verdade de que o Andy cresceu de que ele não é mais aquele garoto que conhecemos no primeiro filme, agora ele está indo pra faculdade e vai começar uma nova fase em sua vida, na qual ele tem que dizer adeus aos seus brinquedos tão queridos.

Deparados com esse novo rumo os eternos amigos Woody e Buzz percebem que podem parar em três lugares diferentes: eles serão guardados na caixa da faculdade, do sótão ou no saco do lixo. Mas um capricho do destino irá levá-los a um lugar completamente diferente, uma creche, onde nada é o que parece ser, e eles terão uma incrível aventura pela frente. Novos brinquedos entram em cena, incluindo um super vilão, mas o casal Barbie e Ken rouba a cena, com a hilária metrossexualidade dele e a aparente fragilidade dela.

Fui assistir o filme no cinema do Shopping Boa Vista junto com a Katy uma amiga que conheci aqui no blog, eu entrei no cinema com a certeza de que estava prestes a me despedir de amigos tão queridos e amados, e foi difícil não conter as lagrimas, pois o filme joga com maestria o riso e o choro de uma forma surpreendente. Lembro que uma vez falei aqui mesmo no blog que os filmes da Pixar nos transportam ao nosso tempo de criança, mesmo que por poucos e preciosos momentos, mas eu vi nesse filme mais que uma simples despedida entre brinquedos... Para mim, ao menos, foi como uma passagem na vida, uma dessas que odiamos ter que passar, mas por vontades alheias as nossas somos obrigados a encarar.

Toy Story 3 não é uma simples continuação sem sentido e sem alma (Sim, Shrek estou falando de você VIU), esse filme fecha com simplicidade uma das mais divertidas séries da história do cinema, e nos faz mostrar que continuações feitas com o coração e respeito com os fãs podem dar certo. E pra mim a mensagem central do filme é de que não importa o quanto cresçamos, sempre vai existir uma criança dentro de nós. Então se você esta pensando em ver, eu recomendo que veja com o coração, e deixe as emoções fluirem.

8 de julho de 2010

A Pequena Sereia vai ganhar versão Live Action!

Um dos maiores clássicos da Disney, A Pequena Sereia, ganhará uma versão live-action graças a Working Title Films e Joe Wright, cineasta responsável por Orgulho e Preconceito.

A versão que irá pras telonas é baseada na peça infantil de fantoches, desenvolvida pela companhia londrina Little Angel Theatre Company. Ainda não há informações sobre escalação de elenco ou data de estreia.

O conto de A Pequena Sereia foi originalmente publicado em 1837, por Hans Christian Andersen. Para a empreitada, Abi Morgan (Um Lugar Chamado Brick Lane) será o responsável pelo roteiro.

Vi no site Jovem Nerd

6 de julho de 2010

Efeito borboleta é detectado no cérebro

Cérebro não-confiável

Da próxima vez que sua memória lhe pregar uma peça, você já tem uma desculpa: de acordo com uma pesquisa feita por cientistas britânicos, e publicada no último exemplar da revista Nature, o cérebro é intrinsecamente não-confiável.

Isto pode não ser muito surpreendente para a maioria de nós, sempre às voltas com esquecimentos e erros de raciocínio, mas o fato tem confundido os neurocientistas há décadas.

O problema parece começar no fato de que os cientistas comparam o cérebro com um computador.

E, assim sendo, o cérebro seria também o dispositivo de computação mais poderoso que se conhece, como poderia ele funcionar tão bem se o comportamento dos seus circuitos é variável?

Efeito borboleta no cérebro

Uma hipótese levantada há muito tempo é que os circuitos do cérebro são de fato confiáveis, e a variabilidade aparentemente alta se deve a que o cérebro está envolvido em muitas tarefas simultaneamente, uma afetando as outras.

É esta hipótese que os cientistas da Universidade College London agora testaram diretamente.

A equipe se inspirou no chamado efeito borboleta - que estabelece que o bater das asas de uma borboleta no Brasil pode gerar um tornado no Texas, devido a uma longa cadeia de causalidades que se espalha sem controle a partir de um evento inicial.

Efeito multiplicador

O experimento consistiu em introduzir uma pequena perturbação no cérebro, o equivalente neural do bater de asas de uma borboleta, e acompanhar o que aconteceria com a atividade nos demais circuitos cerebrais.

Os resultados mostraram que o pequeno evento inicial gera um gigantesco efeito multiplicador.

A perturbação inicial consistiu de um único impulso nervoso - um disparo de neurônio - induzido no cérebro de um rato.

Esse único disparo extra causou cerca de trinta novas sinapses nos neurônios próximos, a maioria dos quais geraram outros trinta disparos extras, e assim por diante.

Isso pode não parecer muito, dado que o cérebro produz milhões de sinapses a cada segundo, mas os pesquisadores estimaram que o impulso extra induzido artificialmente afetou uma quantidade de neurônios no cérebro que também atinge a casa dos milhões.

Ruído no cérebro

"Este resultado indica que a variabilidade que vemos no cérebro pode ser na realidade devido ao ruído, e representa uma característica fundamental da função cerebral normal," afirma o Dr. Mickey Londres, coautor do artigo.

Esta rápida amplificação de disparos neuronais significa que o cérebro gera muito mais ruído do que os computadores.

No entanto, o cérebro pode realizar tarefas muito complexas com enorme velocidade e precisão - com muito mais rapidez e precisão do que o computador mais poderoso já construído, e provavelmente a ser construído em um futuro imaginável.

Os pesquisadores sugerem que, para que o cérebro funcione tão bem frente a níveis tão elevados de ruído, ele deve estar usando uma estratégia chamada de código de frequência (rate code).

Em um código de frequência, os neurônios consideram a atividade de um conjunto de muitos neurônios, ignorando a variabilidade individual, ou ruído, produzido por cada um deles.

Fiação cerebral

Se a hipótese estiver correta - e o cérebro produzir mesmo muito ruído - restaria saber o porquê.

Os pesquisadores sugerem que uma possibilidade é que este seja o preço que o cérebro paga pela alta conectividade entre os neurônios - cada neurônio conecta-se a cerca de 10 mil outros, resultando em mais de 8.000 mil quilômetros de "fiação" no cérebro humano.

Os cientistas consideram que a alta conectividade é pelo menos em parte responsável pela capacidade computacional do cérebro.

No entanto, como mostra a pesquisa, quanto maior a conectividade, mais ruidoso será o cérebro. Portanto, embora o ruído não seja um recurso útil, ele seria, pelo menos, um subproduto de um recurso útil.

Fonte: Diário da Saúde

Vi no blog Mente Humana

1 de julho de 2010

Frase do Mês

"Não importa o quanto cresçamos, vamos sempre nos lembrar dos velhos tempos. A vida é feita de fases. As fases passam. As lembranças, não."

By: Luciano Carneiro

24 de junho de 2010

Papo Furado

Olá pessoal, tudo bem? Eu sei que estive um pouco súmido mas foi por dois motivos. Primeiro eu estava e ainda meio que estou sem net e segundo meu pc teve que ir pro conserto, por isso eu estava sumido.

Bem, fora tudo isso eu estou bem, passei um dia dos namorados um tanto quanto diferente, pois participei do Nerdcast de dia dos namorados, e contei um pouco da minha história com uma garota que conheci ano passado, e se vocês quiserem ouvir esse meu super mico visitem esse linnk Nerdcast, e pra completar o meu amigo blogueiro Francisco Mendes partiu em uma nova jornada rumo a novas terras e novas conquistas, e a ele eu desejo toda a sorte do mundo.

Sim fiz uma nova amizade nesses ultimos dias, conheci a Joan uma jovem que sempre está visitando o blog, e sabe é isso que eu gosto da internet pois ela na maioria das vezes nos mostran coisas ruins mas sempre ela esconde coisas boas como as amizades que fazemos devido a ela, e nisso eu grato a Deus por ter a Joan, Mônica eu Francisco Mendes fazendo parte de minha vida, e são pessoas que um dia se Deus quiser vou conhecer pessoalmente.

21 de junho de 2010

Matando a saudade

Toy Story 3 teve sua estrea na ultima sexta feira e Lee Unkrich, diretor do atual longa, diz que não há planos concretos para um Toy Story 4, tanto que o encerramento do filme aponta para um desfecho na saga dos brinquedos de Andy, mas um curta de Toy Story, poderá ser visto em junho do ano que vem, passando antes de Carros 2 (Cars 2: World Grand Prix), com os principais personagens.

Em tempo, Carros 2 estreia em 24 de junho de 2011.


Vi no site Jovem Nerd

15 de junho de 2010

Frase do Mês

"Cada um recebe de acordo com o que dá. Se você der ódios e indiferenças, há de recebê-los de volta. Mas se der atenção e carinho, há de ver-se cercado de afeto e amor." (Autor desconhecido)

31 de maio de 2010

Reminiscências de um Gago em seu Exílio 34: Encontros e desencontros de uma viagem que mudou minha vida.

Olá pessoal tudo bem? Desculpa ter sumido por um tempo, mas eu precisava parar um pouco para pensar na Reminiscência desse mês. E feito isso resolvi lhes contar uma história bem recente, lembram que ano passado eu tive que ir para Natal ficar com a minha avó? Pois é, foi essa viagem que mudou a minha vida e o rumo ano 2009.

Mais ou menos em março do ano passado eu conheci uma garota que marcou pra sempre aquele ano, sabem aquela pessoa que conhecemos e desenvolvemos uma conexão tão grande que você percebe que a amizade começa a evoluir para algo maior vindo das duas partes? Mas, para poder contar essa história vou usar um texto que escrevi para essa pessoa.

Minha vida sempre foi aquilo que eu sonhei. Jamais desejei muito além do que eu sabia que podia ter, isso, pelo menos, até te encontrar, e ver que eu desejava realmente muito pouco do que o mundo podia me dar. Afinal, eu percebi que poderia ser o dono do universo por apenas um toque seu, que poderia esticar meus dedos e alcançar as estrelas só para te ter ao meu lado. Que nada era grande demais, eu que sempre me fiz de pequeno. Até perceber que, na verdade, eu podia ser um porto seguro, por você.

Iria de olhos vendados até os confins da terra se você estivesse ao meu lado, me guiando, pois confio cegamente em você. Você sabe que não sou de…

Perceberam que esse começo ficou meio megalomaníaco? Depois essa história de confiar cegamente… Ok, eu confio, mas do jeito que eu escrevi ficou parecendo que não tenho opinião própria e deixo ela decidir tudo por mim…

Ta, mais uma tentativa ok…

Costumava pensar na minha vida como uma floresta (só não decidia se seria tropical, temperada ou simplesmente floresta mesmo), mas sempre imaginei como algo denso e cheio de organismos que formavam um todo pulsante, vivo, extremamente dependente de todo e pequeno detalhe. No entanto, no meio de toda essa vida, desta luta por sobrevivência, havia, em um lugar muito importante, uma grande clareira. A vida também pulsava lá, de forma cálida, todavia nenhum ser de grande porte ousara se estabelecer ali. Era uma clareira solitária, talvez até assombrada por espíritos de pessoas que se desfizeram antes de alcançar o interior da mata, densa demais para o espírito fraco, que agora assombrava o meu coração.

Sim, a clareira, dentro da mata, era como o vazio do meu coração, um vazio jamais verdadeiramente ocupado. Ouso dizer que esse vazio existia unicamente para ser preenchido por ela, eu acho.

Dramaticamente romântico. Eu sei. Estou me arriscando por um caminho no qual não estou seguro. Como uma criança andando sobre um lago congelado, trilhando algo incerto, e sem saber se afundará a qualquer momento, pisando num local frágil demais, sem imaginar. Mas, por ela, vou me arriscar só mais um pouco por sobre esta vastidão de gelo fino porque, de repente, me sinto confiante.

Mas por falar em lago, me lembrei do dia em que a conheci (E não me perguntem por que um lago, pois eu não sei responder), aquele foi, pra mim, o primeiro momento no qual me dei conta do que sentia. Ela era tão… Diferente.

Lembro que naquele dia eu levantei mais cedo porque fui arrancado de meu sono por um sonho muito estranho no qual havia risadas assustadoras e, depois de acordar, não consegui voltar a dormir. Apenas pensava no terror pelo qual passara. Vocês talvez nunca tenham noção do que é acordar suado com risadas nem um pouco amigáveis ressonando dentro da cabeça. E principalmente sendo elas vindas de um amigo meu chamado Felipe.

Lembro também que o dia nem bem amanhecia aqui na ilha. Não sei o que me deu, resolvi sair de casa por um tempo, passear, assistir o nascer do sol, talvez, visto que esse ainda se encontrava levantando atrás do morro do francês.

Então segui meu dia normalmente, fiz os meus afazeres em casa, depois fui pra TV Golfinho gravar o Balaiocast que era um programa de radio que eu tinha na internet junto com a Thânia Brito, mas isso não vem ao caso, o importante é que logo depois eu voltei correndo pra casa, pois logo à noite eu teria a minha tortura chamada Matemática, física e química resumindo os estudos.

Lembro que quando cheguei o pessoal estava falando que a namorada de Evandro estava na ilha e estudando com ele, eu pensei “Poxa Evandro não me falou nada? Isso é que é amigo do peito?” O tempo passou e quando foi na hora do lanche fui conferir essa tal namorada dele. E pasme eu fiquei completamente sem ação quando vi aquela moça que estava ao lado do meu amigo gigante.

E quando descobri que não era a namorada dele pense no alivio que eu tive, pois eu estava me culpando por está gostando da namorada do meu melhor amigo. Mas tudo foi resolvido e lembro que uns dois dias depois eu falei com ela na sala de informática não lembro direito qual foi o assunto, mas lembro de ter perguntado se eu podia adicioná-la no Orkut. Foi a primeira frase que eu disse, assim, de verdade, por vontade própria e sem ser no meio de uma conversa com outras pessoas (e pensando bem que coisa sem lógica). E ela deu aquele sorriso estranho, que parece sempre capaz de ler a mente dos outros.

Mesmo assim acho que ela nem deve lembrar desse dia, mas não pude evitar de me pegar descrevendo essa cena, porque acho que foi a primeira vez que alguém espantou um fantasma da minha clareira assombrada. Nós não conversamos muito, não trocamos muitas frases. Apenas ficamos um ao lado do outro, em silêncio e ela olhando as minhas comunidades no meu perfil.

Depois daquela cena curiosa, eu fui para casa e me sentei de frente para o ventilador, e pensei sobre o que acabara de acontecer. Foi mágico, por assim dizer, brincando um pouco com esta palavra. Eu nem sabia dos dias que estavam por vir, então as semanas foram passando e a nossa amizade aumentando, lembro que um dia antes de viajar eu estava angustiado tipo com um pressentimento de que algo ruim ia acontecer, e se fosse em outros tempos só o fato de viajar pra Natal era motivo para que ficasse super feliz em sair desse fim de mundo, mas naquela manhã pela primeira vez eu não queria sair de Noronha pois sabia que a clareira dentro de mim voltaria a ser solitária.

Agora, tanto tempo depois, sentado em minha cama, digitando um texto que eu não sei se vou postar ou ler em voz alta (ops! Eu sou gago né? Que droga!!), tenho um sorriso nostálgico no rosto. Daria tudo para poder ter aquela garota ao meu lado agora, para ver as outras pessoas me olhando torto. Possivelmente eles não acreditam que há no mundo uma outra pessoa tão boba ou tão feliz como eu.

Talvez vocês se perguntem o que uma pessoa sem talento para a escrita, como eu, se encontra sentado numa cama, arriscando algumas palavras tortas e até ser ridicularizado. O fato é que eu sou maluco. Arriscando tudo isso pra nada, ou melhor, me arriscando a perder tudo por causa de uma Reminiscência.



Continua...

18 de maio de 2010

"Secrets Of LOST" - Jogo online feito por fã!

O Gustavo Ceron, um super fã de LOST, pensando no momento em que ficaremos sem a série, está criando um jogo online para os fãs. É um jogo simples, mas que deve ficar bacana.

Veja a descrição do jogo.

A série Lost proporcionou para todos os fãs durante esses anos a criatividade de ficarem horas e horas imaginando respostas para os mistérios não solucionados, respostas que muitas vezes se confirmavam e outras que, apesar de muito boas, não ocorriam como o desenrolar da história, e acabavam aos poucos caindo no esquecimento. A partir daí começaram a surgir sites, projetos, vídeos, jogos e até comemorações sobre a série.

Um destes projetos é o Secrets of Lost que está prestes a ser lançado na versão beta, e vem trazer principalmente para os fãs de Lost a oportunidade de explorar a ilha no melhor estilo RPG. O jogo não terá fins lucrativos e será disponibilizado em partes.

Uma vantagem é que para jogá-lo não é preciso conhecer a série, pois, apesar de estar relacionado, muita coisa foi mudada e os conhecimentos obtidos provavelmente não influenciarão em quase nada.

Jogos oficiais como Lost Via Domus e Lost mobile são sem dúvida muito bons para quem quer simplesmente jogar o que assistiu, diferentemente de Secrets of Lost que apesar de uma interface simples promete fazer os jogadores “quebrarem a cabeça” com as novas versões e explicações apresentadas para cada detalhe e a total mudança do quebra-cabeça em que a série se transformou.

A história não tem uma linha cronológica, deixando o jogo atemporal, misturando os acontecimentos e mistérios formando uma única linha de jogo.

Você joga individualmente com o personagem Elliot, um sobrevivente do voo que logo nos primeiros dias na ilha percebe que aquele lugar é especial.

O projeto será sem dúvidas o que sustentará muitos fãs que mesmo depois de terminarem de assistir a última temporada continuarão discutindo sobre o tema através do jogo.

O jogo ainda está em construção e será lançado apenas como meio de diversão para os amantes da série. O desenvolvedor convida você a ajudar a desenvolvê-lo, mandando e-mails com ideias de mistérios e soluções, sejam eles existentes ou não na série.
Acompanhe o desenvolvimento e obtenha maiores informações no blog oficial do jogo:

Jogos Lost

Fonte: Teorias Lost

14 de maio de 2010

Novos pôsteres de The last Airbender

Recentemente foram divulgados os pôsteres Frances e Alemão do super mega filme do ano (ou não, lembren-se de Dragonball involution) Avatar de James... Quer dizer O Ultimo Mestre do Ar, baseado no desenho de sucesso chamado Avatar: A lenda de Aang.

O filme tem a direção de M. Night Shyamalan. O elenco tem os nomes de Noah Ringer (Aang), Nicola Peltz (Katara), Jackson Rathbone (Sokka), Dev Patel (Zuko), Jessica Jade Andres (Suki), Aasif Mandvi (Comandante Zhao), Shaun Toub (Tio Iroh), Cliff Curtis (Imperador Zhao).

Confiram as imagens:






Vi no site Jovem Nerd

13 de maio de 2010

Mal entendido virou experiência na vida do ator Ian McKellen

Ian McKellen, famoso por interpretar grandes personagens como Gandalf da trilogia de O Senhor dos Anéis e Magneto da franquia X-Men, foi confundido com um mendigo enquanto descansava dos ensaios da peça Esperando Godot — peça de de Samuel Beckett, em que atua com o colega de profissão Roger Rees — , em Melbourne, na Austrália.

Por justamente estar sentado trajado com o figurino surrado da peça teatral, um homem lhe ofereceu uma nota de um dólar australiano ao ator, que posteriormente acabou falando sobre isso no twitter.

“Eu estava na porta do teatro com o chapéu no chão, quando um homem perguntou se eu precisava de ajuda. Então, ele colocou um dólar no meu chapéu.”

Mas o ator encarou o fato como um sinal de sorte e com bom humor, guardando a nota. Ele a pendurandou em cima do espelho, no camarim, virando uma espécie de simpatia antes de entrar no palco.

Ele acrescentou no twitter que espera ‘que o público de Melbourne seja tão generoso quanto ele’ — o homem que deu o dinheiro. Além disso, o ator quis repetir a experiencia. O resultado foi retornar às ruas para promover a peça.


Vi no Site Jovem Nerd

Aluado Blog Tumblr

SocialVibe