20 de novembro de 2009

UP: eu vi.


Eu não quis escrever este post ontem a noite, pois ainda estava sob efeito do filme, e achei que poderia ser precipitado, na empolgação, dizer que este era a melhor animação que já vi. Mas que se dane, depois de uma noite de sono ainda estou com isso na cabeça, sim, “UP – Altas Aventuras” é a melhor animação já produzida.

E depois me bateu um remorso e eu fiquei me perguntando se “UP” é melhor do que “Wall-E” (a melhor animação até então), e eu respondo que sim, mesmo que eu não goste deste tipo de competição. Mas é preciso dizer que ambas são extraordinárias na técnica aplicada na animação e na história narrada. Mas “UP” supera o seu irmão mais velho ao ser mais simples, singelo e apresentar sentimentos mais primordiais ao ser humano. E, além disso, o filme alterna com maestria o riso e o choro. Sim, ninguém consegue ver este filme sem chorar (e muito viu), e isso com apenas dez minutos de projeção.

Eu me lembro que outro filme da Pixar, "Procurando Nemo", também teve um começo bem ousado. Se me lembro bem, logo no início o personagem principal, perde de uma vez a companheira e toda a sua futura ninhada, com exceção de um único ovo, que se tornaria o seu filho superprotegido, Nemo, que ainda tinha uma ligeira deficiência. Foi o início mais dramático que eu já tinha visto em um desenho, mas naquela época a Pixar quis suavizar as coisas. Tudo acontece de uma forma em que percebemos a tragédia, mas a suavização no jeito de contar impede que o acontecimento afete os nossos sentimentos a ponto de provocar lágrimas.

Mas, em “UP” a intenção da Pixar parece ser totalmente ao contrário. Com três minutos de filme, conhecemos uma personagem tão encantadora que ele não precisa mais de dois minutos para conquistar os nossos corações, tamanha é a sua simpatia e encanto. Só que, menos de cinco minutos depois disso, a luz dela se apaga. É de uma forma sutil, mas depois que nos apaixonamos por ela é impossível não sentir o impacto da cena. E o filme nos mostra uma história amor tão linda e tão prazerosa em se ver, que chega a dar vontade de viver um amor assim.

Mas a partir desse começo tão duro, “UP” não demora a tomar um outro ritmo, otimista e alegre. Acompanhamos Carl Fredricksen (voz de Chico Anysio), Um solitário e rabugento vendedor de balões que decide fugir da cidade grande e levar sua casa junto, com a ajuda de milhares de balões de gás que farão a sua residência literalmente levantar vôo, rumo às nuvens. O objetivo de Carl é chegar até a enorme cachoeira onde ele e sua falecida esposa sonharam juntos em morar durante a juventude.

Dos personagens que encontramos pelo caminho, certamente o meu preferido é Dug um cachorro falante muito fofo. Mas não há como não gostar de todos os outros. Diga-se de passagem, a característica mais incrível de “UP” é a forma como todos os personagens são incrivelmente diferentes entre si. O grande trunfo desta animação é com certeza a dinâmica entre eles.

E agora pensando melhor eu concluo que quando a Pixar põe a mão na massa, pode contar que vem aí um produto de muita qualidade. Até por que ela não esta fazendo filme pra ganhar dinheiro, eu vejo que em todas as suas histórias a Pixar aposta na narrativa e no carisma de seus personagens, ela não se importa se a criança vai entender ou não o contexto da obra. A Pixar chegou pra ficar e mostrar que desenho animado não é só pra criança, mas sim para toda a família. E para mim, “UP” é a melhor representante desta empresa. E sempre que a gente acha que a Pixar chegou ao auge, eles ainda conseguem nos surpreender e muito.

Em “UP” temos a voz do mestre do humor Chico Anysio que dá um banho na dublagem de Carl Fredricksen, junto com o seu filho Nizo Neto, que empresta a voz para o cão Dug. Os diretores são Pete Docter (de Monstros S.A.) e Bob Peterson, desenhista dos dois Toy Story e co-roteirista de Procurando Nemo. Então não tenha medo de ver “UP”, pois vale a pena e faz muito bem.

OBS: Há uma cena, no meio da animação, em que Carl abre o albúm que era de sua esposa e tem uma linda surpresa. Esta cena é com certeza uma das mais belas que já vi num filme animação.

7 comentários:

  1. Eu nao pude ver quando estava nos EUA e ja tinha saido de cartaz em Sao paulo, quando eu voltei. Tive que fazer o download e ainda nao vi, mas, ouvi muitas boas recomendacoes sobre essa animacao.

    ResponderExcluir
  2. bom filme...
    eu achei estranho por que normalmente eu quase(quase)choro no final dos filmes...
    nesse eu quase(quase)choro com 10 minutos de filme....
    Me apaixonei pelo Dug...
    queria ter ele como meu cachorro(ESQUILO)...
    e eu só queria saber,de onde aquele velho tirou tanto balão???

    ResponderExcluir
  3. Oiee! Desculpe pela demora para aparecer aqui.. Acompanhava seguido os posts mas não dava tempo de comentar e uma vez q tentei não consegui, porque era pelo twitter (er, sou meio lerda, rs) mas enfim.. show aqui, sempre :) já ouvi indicações desse filme, quero assistir, pelo jeito é muito legal mesmo! Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Um filme fantastico, um humor adoçado com muita emoção.
    Embora os gráficos não sejam no estilo realista ele nos atinge em cheio atraves da sensibilidade.
    Simplesmente cativante, recomendo para todas as idades.

    Abração!!
    Rafael Marino

    ResponderExcluir

Sejá bem vindo ao Aluado Blog, dê sua opinião sobre o post...

OBRIGADO PELA VISITA! E VOLTE SEMPRE. ^^'

Aluado Blog Tumblr

SocialVibe